Regulamento Interno 2016.17 pdf

 

Projecto Educativo 2014 – 2018

INTRODUÇÃO

O Projeto Educativo que aqui se apresenta resulta de uma reflexão e avaliação do anterior (2011/2014) e pretende continuar uma perspetiva integradora e dinâmica da educação artística realizada no Conservatório Regional de Música “Dr. José de Azeredo Perdigão” (adiante apenas designado por Conservatório).

Este documento, entendido como base de estruturação do trabalho a desenvolver, é definidor da política educativa de uma Escola, identifica-a e confere-lhe autonomia como se constata no Decreto-Lei nº43/89:

“A autonomia da Escola concretiza-se na elaboração de um projecto educativo próprio, constituído e executado de forma participada, dentro dos princípios de responsabilização dos vários intervenientes na vida escolar e de adequação a características e recursos da Escola e às solicitações e apoios da comunidade em que se insere.”

Procurou-se, neste contexto, estabelecer metas e definir estratégias que promovam a identidade do Conservatório como espaço educativo e social e a excelência do ensino realizado, criando condições de constante sucesso dos alunos.

O envolvimento de todos os intervenientes no processo educativo faz parte do plano de ação do Conservatório, assumindo assim o seu papel dinâmico numa comunidade que se pretende ativa na formação dos indivíduos no plano cultural e social.

ORIGEM DO CONSERVATÓRIO

O Conservatório Regional de Música «Dr. José de Azeredo Perdigão» nasce do desejo e empenho de HÉLIA ABRANCHES SOVERAL, pianista e pedagoga viseense.

Após vários contactos e diligências com entidades diversas em defesa dos interesses da região – A PROVISEU, associação para a promoção de Viseu e Região, assumiu a criação e manutenção do Conservatório Regional de Música de Viseu.

Em Setembro de 1985, na Casa do Miradouro, abriu esta Escola as suas portas não só a cidadãos com comprovadas aptidões ou talentos nesta área mas, também, a todos aqueles que entendem que a formação musical tanto pode constituir um importante complemento de formação e de fruição cultural, como uma via de realização vocacional e/ou profissional.

O Conservatório, além de um estabelecimento de ensino vocacional da música tem sido um agente promotor de actividades musicais na cidade recorrendo aos seus alunos e professores, ao intercâmbio entre escolas similares, convidando e trazendo até nós músicos profissionais.

Foi assim que se programaram concertos, recitais, intercâmbios, audições, palestras, participações em concursos e festivais. É de destacar a presença, várias vezes premiada, de alunos deste Conservatório em concursos nacionais de música, em diferentes instrumentos, o que revela uma forte aposta na qualidade de ensino ministrada.

Em 1992 o Conservatório mudou de instalações e passou a funcionar no Solar de Prime.

A intervenção da Câmara Municipal de Viseu, empenhada em encorajar e desenvolver os valores da cultura e da solidariedade social, tem vindo a celebrar diversos protocolos com a Proviseu / Conservatório Regional de Música «Dr. José Azeredo Perdigão», fomentando relações profícuas para as duas instituições.


OFERTA FORMATIVA

O Conservatório lecciona cursos de Formação Musical, Acordeão, Canto, Clarinete, Contrabaixo, Flauta Transversal, Guitarra Clássica, Guitarra Portuguesa, Órgão, Piano, Percussão, Saxofone, Trombone, Trompete, Violino, Viola de Arco e Violoncelo com paralelismo pedagógico conferido pelo Ministério da Educação. Os níveis de ensino dividem-se em Iniciação, Básico e Complementar.


ENSINO VOCACIONAL DA MÚSICA

O ensino vocacional da música tem como objetivo proporcionar formação musical de elevado nível técnico, artístico e cultural, organizando-se para tal de forma sequencial desde o primeiro ciclo do Ensino Básico até ao nível Secundário.

É consensual o diagnóstico da convergência de duas procuras distintas: uma que pretende, apenas ou sobretudo, uma mais-valia pessoal, em termos de formação musical; outra que se orienta pela aspiração a uma formação musical propriamente vocacional, para futura profissionalização.

“A Música favorece o impulso da vida interior e apela para as principais faculdades humanas: vontade, sensibilidade, amor, inteligência e imaginação criadora. Por isso, a música é encarada como um factor cultural indispensável.”

In Edgar Willems

Assim, partindo deste princípio de desenvolvimento das competências artísticas dos nossos alunos, o Conservatório oferece a seguinte estruturação dos cursos ministrados:
CURSO DE INICIAÇÃO

Destinado a alunos do 1ºciclo do ensino básico, tem como currículo as disciplinas de instrumento e iniciação musical.

CURSO BÁSICO E SECUNDÁRIO

Divide-se em dois regimes, articulado e supletivo, que se regem pelas Portarias Nº 225/2012 de 30 de Julho, a portaria 243 – B / 2012 de 13 de Agosto complementada pelas portarias Nº 419 – B de 2012 de 20 de Dezembro, Portarias 59 e 59 – B de 2014 de 7 de Março.

O regime Articulado destina-se a alunos que se encontrem a frequentar escolas públicas de ensino regular ou de ensino particular com contrato de associação.

A condição fundamental para o ingresso no Conservatório em regime articulado é a frequência de uma escola de ensino regular que tenha um protocolo com o Conservatório para o ensino articulado da música – Escola de Referência. O aluno no ensino regular deverá ser incluído numa turma dedicada, com alunos que frequentem o Conservatório de Música, podendo, desta forma, articular horários de aulas, frequências, audições ou outras actividades.

Excecionalmente para além dos alunos que ingressam no 5º ano de escolaridade poderão inscrever-se alunos de outros anos de escolaridade, desde que apresentem condições para ingressar no grau correspondente.

As escolas de referência para o Ensino Básico Articulado da Música são: a Escola Grão Vasco e Escola Emídio Navarro em Viseu e o Agrupamento de Escolas de Mangualde.

Poderão ingressar no curso secundário, em regime articulado, os alunos que tenham obtido aprovação na prova de acesso obrigatória e estejam inscritos no ensino secundário.

Podem ingressar no regime supletivo os alunos que não queiram ou não reúnam condições para frequentar o regime articulado, e que se encontrem a frequentar o ensino básico ou secundário e não tenham idade superior a 18 anos.

REGIME SUPLETIVO

Portaria 1550/2002 - 26 de Dezembro, Despacho n.º 18041/2008 – 4 Julho de 2008. Podem ingressar neste regime os alunos que não reúnam condições para frequentar o regime articulado, e que se encontrem a frequentar o ensino básico ou secundário e não tenham idade superior a 18 anos. O desfasamento relativamente ao ensino regular não pode ser superior a dois anos.

CURSO LIVRE

Pode ingressar neste regime qualquer aluno que assim o entenda. Este curso tem total flexibilidade de currículo, não conferindo qualquer habilitação.

ELEMENTOS HUMANOS E MATERIAIS DA ESCOLA

O Conservatório Regional de Música de Viseu «Dr. José de Azeredo Perdigão» é uma escola de ensino vocacional da música com autorização de funcionamento e com paralelismo pedagógico dos cursos aqui ministrados, conferido pelo Ministério da Educação.


ESPAÇOS

Trata-se de um edifício reconstruído (Solar de Prime) com 27 salas de aula.

OUTROS ESPAÇOS
1 - Secretaria
2 - Gabinete da Proviseu
3 - Gabinete da Direcção Pedagógica
4 - Gabinete do pessoal não docente
5 - Biblioteca/Centro de Recursos Educativos
6- Espaço de Informática e ligação à Internet
7 - Estúdio de Som
8 - Auditório 1 / Auditório 2
9 - Casas de banho e balneários
10 - Arrumos diversos

11 - Recreio ao ar livre


EQUIPAMENTO

O Conservatório dispõe de equipamentos específicos de reprografia, de audiovisuais, de instrumental orff, de instrumentos específicos, de informática e de som.

 

 







PESSOAL DISCENTE
2014/2015
Articulado
Supletivo
Outros
Livre
Iniciações
...
...
103
...
Básico
309
19
48
14

Complementar

3
7
27
...
Total
312
26
178
14
Total Geral
516
PESSOAL NãO DOCENTE
Administrativos
Técnicos d3 ação educativa        Limpeza
2
3                                                                 1

PESSOAL DOCENTE
1997/1998
C/hab.
S/hab.
Total
Total Geral
Formação Musical
3
3
6
28

História da Música

1
...
1
Acústica
...
1
1

Análise e Técnicas de Composição

1
...
1
Piano
4
3
7
Acordeão
1
...
1
Violino
3
...
3
Violoncelo
1
...
1
Guitarra
1
2
3
Flauta Transversal
1
...
1
Saxofone
1
...
1
Canto
1
...
1
Acompanhador
1
...
1
2004/2005
C/hab.
S/hab.
Total
Total Geral
Formação Musical
5
...
7
22

História da Música

1
...
1
Acústica
1
...
1

Análise e Técnicas de Composição

1
...
1
Piano
5
1
6
Acordeão
2
...
2
Violino
3
...
3
Viola de Arco
1
...
1
Violoncelo
1
...
1
Guitarra
2
...
2
Flauta Transversal
1
...
1
Clarinete
1
...
1
Saxofone
1
...
1
Canto
1
...
1
Acompanhador
1
...
1

2011/2012
C/hab. pro
C/hab. suf
Total
Total Geral
Formação Musical 4
2
6
40

História da Música

1
...
1
Acústica
1
...
1

Análise e Técnicas de Composição

1
...
1
Piano
6
...
6
Órgão
1
...
1
Acordeão 4
...
4

Violino

3
...
3
Viola de Arco
1
...
1
Violoncelo
1
...
1
Contrabaixo
1
...
1
Guitarra
3
1
4
Guitarra Portuguesa
1
...
1
Flauta Transversal
1
...
1
Clarinete
1
...
1
Saxofone 2
...
2
Trompete
1
...
1
Trombone
1
...
1
Percussão

Canto

1
2
...
...
1
2

2014/2015

C/hab. Própria

C/hab. suficiente

Total

Total Geral

F.M.

4

2

6

H.M.

1

...

1

Acústica

1

...

1

A.T.C.

1

...

1

Piano

6

...

6

Órgão

1

...

1

Acordeão

4

4

Violino

4

...

4

Percussão

1

...

1

Viola d´arco

1

...

1

Violoncelo

1

...

1

Contrabaixo

1

...

1

37

Guitarra

3

1

4

Guitarra Portuguesa

1

...

1

Flauta transv.

1

...

1

Saxofone

2

...

2

Clarinete

1

...

1

Trompete

1

...

1

Trombone

1

...

1

Canto

2

...

2

Acompanhador

2

...

2

PRÍNCIPIOS ORIENTADORES

Assumindo o Projeto Educativo como um plano de ação partilhada e como uma base de referência para toda a comunidade educativa, abaixo se enumeram os princípios orientadores que se pretende sejam eficazes na construção de uma educação interativa.

 

- CONTRIBUIR para que a Escola venha a ser cada vez mais um espaço de bem-estar para todos os intervenientes;

 

 

- PROMOVER práticas inclusivas de apoio e de acompanhamento de alunos com necessidades educativas especiais;

 

- PROPORCIONAR um ensino de qualidade;

 

- PROMOVER novos cursos de instrumento e DESENVOLVER classes instrumentais que têm um número reduzido de alunos.

 

- FOMENTAR e DESENVOLVER a prática da música de conjunto, com especial incidência nos conjuntos instrumentais bem como na experiência orquestral como meio de maturação performativa e socializante;

 

- PROMOVER a abertura da Escola ao meio em que se encontra inserida, desenvolvendo a colaboração com diferentes parceiros culturais, sociais e educativos;

 

- DESENVOLVER e APROFUNDAR relações estratégicas com escolas de ensino regular com as quais o Conservatório tem, ou possa vir a ter protocolos para desenvolver o ensino articulado da música.

 

- PROPORCIONAR o contacto com outros saberes musicais através de visitas de estudo, intercâmbios ou master-classes.

 

- DESENVOLVER iniciativas que promovam artisticamente os alunos e professores do Conservatório.

 

- PROMOVER E ESTIMULAR ações que visem melhorar as condições de trabalho, o clima das relações humanas e a qualidade de equipamentos e serviços;

 

- PROMOVER a igualdade de oportunidades de sucesso escolar, nomeadamente através de medidas que contribuam para compensar desigualdades económicas/sociais e resolver dificuldades específicas de aprendizagem e integração escolar;

 

- FOMENTAR o intercâmbio de saberes e culturas, estabelecendo relações interdisciplinares e o contacto com outras realidades socioculturais;

 

- REALIZAR seminários, ciclos de conferências e concertos ou aulas abertas dirigidas a toda a comunidade educativa e ao público em geral;

 

- APROFUNDAR PARCERIAS para a realização de Festivais de Música promovidos pelo Conservatório: Festival de Música da Primavera ou outros, que englobem a comunidade educativa e a população em geral com a realização de concertos, concursos, workshops, masterclasses, concertos pedagógicos etc.

 

- PROMOVER concertos em contextos diferenciados, divulgando aspectos patrimoniais relevantes.

OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS

 

Tendo como objetivo primordial o constante sucesso e qualidade dos nossos alunos, justifica-se definir os restantes princípios que consideramos de extrema importância numa formação holística do individuo, pretende-se:

- Proporcionar uma prática musical diversificada, permitir ritmos de aprendizagem individualizados, facilitar a integração nos níveis que mais se adequem à progressão;

 

- Contribuir para o desenvolvimento de capacidades nas áreas de expressão e comunicação que favoreçam a sociabilidade e estimular a criação musical espontânea e o seu desenvolvimento racional;

 

- Promover o desenvolvimento da educação estética e a compreensão do fenómeno musical na sua globalidade;

 

- Permitir a cada indivíduo aumentar os seus conhecimentos e desenvolver as suas potencialidades;

 

- Criar no aluno motivos para aprender, para se aperfeiçoar e para descobrir e rentabilizar capacidades tendo em conta as suas fontes de motivação;

 

- Valorizar a motivação como factor chave tanto no início do envolvimento com a música como na sua manutenção.

 

OBJECTIVOS DE COMPLEMENTO CURRICULAR

- Contribuir para o enriquecimento cultural e cívico;

 

- Fomentar e proporcionar a frequência de concertos de música no Conservatório, ou em outros espaços da cidade.

 

- Fomentar a utilização de novas tecnologias para a aquisição e ampliação de conteúdos programáticos musicais;

 

- Promover a utilização criativa e formativa dos tempos livres dos alunos.

 

REFLEXÃO FINAL

 

Defendendo um debate democrático entre todos os atores da escola, apresentamos alguns pontos que foram alvo de uma reflexão partilhada, de um processo renovador de autoavaliação e que têm como objetivo central a promoção de uma constante qualidade do Conservatório.

Assim, procurou-se nesta reestruturação:

1. Encontrar meios de fomentar um ensino artístico de qualidade, baseado em estratégias pedagógicas que respeitem os estágios evolutivos dos alunos, centrado numa formação diferenciada;

2. Estruturar iniciativas de âmbito multidisciplinar, contribuindo assim para uma educação artística globalizaante;

3. Desenvolver estruturas de apoio e incentivo à prática instrumental e de conjunto através de parcerias com entidades que possam ser eficazes na promoção do trabalho desenvolvido pelos nossos alunos;

4. Dar continuidade às iniciativas desenvolvidas noutros anos e que se têm mostrado eficazes na missão do Conservatório.

É pois neste contexto que pretendemos uma cada vez maior autonomia e desenvolvimento dos alunos do Conservatório, procurando deste modo um equilíbrio entre capacidades, competências,  atitudes e valores, acreditando que só com esta dinâmica estaremos a contribuir para a sua motivação, profissionalismo e sensibilidade estética como futuros intérpretes, compositores ou ouvintes.

topo

 
O Conservatório de Música de Viseu, Dr. José de Azeredo Perdigão, é apoiado pelas seguintes estruturas:
Ministério da Educação